De segunda a sexta, das 7h30 às 11h30 e das 13h00 às 17h00          Rua Vanio Ghellere, 64 Sao Miguel do Iguaçu – PR          (45) 3565 – 8100

Ação do ‘Setembro Amarelo’ é realizada na Comunidade Indígena de São Miguel do Iguaçu

0

O Governo Municipal de São Miguel do Iguaçu, por intermédio da Secretaria de Saúde, deu apoio a uma ação alusiva ao ‘Setembro Amarelo’ que foi realizada na última sexta-feira, 15 de setembro, na Comunidade Indígena Avá-Guarani Tekoha Ocoy, no interior do município.

O evento, que aconteceu no Colégio Estadual Indígena Teko Ñemoingo, veio de encontro a uma grande preocupação das lideranças, que são os números de suicídios nas aldeias da região. “Nos últimos cinco anos tivemos 05 pessoas que tiraram a vida e 09 tentativas somente na Aldeia Avá-Garani Tekoha Ocoy, comunidade com pouco mais de 800 habitantes”, conta preocupada a enfermeira da Unidade de Saúde da aldeia, Lilian Maria Rodrigues.

Diante disso, as lideranças das Comunidades Indígenas de São Miguel, Diamante do Oeste e Santa Helena, com apoio do governo do município, programaram esse dia e desenvolveram diversas atividades que, entre outros, compreendeu a realização de oficinas com os seguintes temas: Ansiedade, preocupação e medo; Raiva e suas expressões; Tristeza; Apatia e indiferença; Felicidade e alegria; Tipos de violências; e Identificação Cultural.

Para o presidente do órgão de controle social das ações do Distrito Sanitário Especial de Saúde Indígena do Paraná (CONDISI)/Santa Helena, Cornélio Alves, a questão da saúde mental dos indígenas requer uma atenção urgente. “Essa questão vem afetando há vários anos nossa população, principalmente na região Oeste do Paraná. Está sendo difícil enfrentar isso e precisamos de ajuda”, destacou.

A pedagoga do colégio, professora Rafaela Aparecida Lago Mondardo, contou que esse evento foi aguardado com muita expectativa para mostrar que a sociedade e as lideranças estão preocupadas com essa realidade e dispostas a ajudar. “Como a sociedade em geral, aqui essa questão também é um tabu”, observou.

O coordenador do DSEI Litoral Sul (Distrito Sanitário Especial Indígena Litoral Sul), Ivan Bribis Rodrigues (Ivan Kaingang), conta que é difícil observar qual a causa desse problema que afeta não somente a comunidade indígena, mas a todos de uma forma geral. “Essa iniciativa aqui em São Miguel do Iguaçu com o envolvimento de vários parceiros é um passo para buscar soluções disso”, enfatizou.

Para a secretária municipal de Saúde, Eloni Terezinha Conzatti de Queiroz, setembro é o mês específico de conscientização sobre o suicídio, no entanto, esse assunto precisa ser tratado e cuidado todo dia. “Nossa equipe está atenta a esses assuntos e trabalhando pontualmente onde a necessidade de ação é mais urgente, como no caso, a Aldeia Indígena”, destacou.

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO, IMPRENSA E MIDIA SOCIAL

Compartilhar:

Os comentários estão fechados.

Acessibilidade